top of page
Buscar

A comunicação da empresa


Ter e-mail profissional para o negócio é vital?

Ter um e-mail só para o trabalho, separando as correspondências que você usa para fazer dinheiro das outras todas é ótimo. Isso não apenas separa as coisas, como também serve para você começar a se educar no sentido de tornar-se cada vez mais profissional.

Você pode ter 2 tipos de e-mail:

  1. Genérico

  2. Da sua marca

O e-mail genérico, inventei esse nome agora, é aquele que todo mundo usa, do tipo @gmail.com @yahoo.com. Ele pode ser interessante se você fizer algo como marcia.boleira@gmail.com ou até mesmo emaildojoaquimmecanico@yahoo.com. Está na cara que estes exemplos chamam a atenção e até dizem o que faz seu negócio. E, dá para ter eles grátis.

Outro caso é o e-mail da sua marca. Suponha que sua marca seja “newis.cool”, então seu email seria seunome@newis.cool e, o mais interessante é que seu site também seria a sua marca: http://www.newis.cool

Notou que esse site não é .com? É que não precisa ser. Existe uma infinidade de nomes e extensões de nomes de sites e, por causa disso, também existe outra infinidade (maior ainda) de e-mails possíveis.

Lógico que tanto o nome do seu site (se você for criar um) como o do seu e-mail tem que ser profissionais. Não use coisas como doidinha@gmail.com (já vi algo parecido), quem irá comprar de você com esse e-mail?

Mas, não se esqueça, o e-mail da sua marca sempre será uma boa opção, mas como isso é pago, pode deixar para depois que o negócio começar a fazer dinheiro, né?

Escolha o seu e-mail!


 


Porque criar sua estratégia de marketing de conteúdo – qual o objetivo dela

á notou que as pessoas procuram na internet quando querem saber sobre alguma coisa? Elas estão procurando conteúdo, que é a resposta para o que elas procuram. E, marketing de conteúdo é uma forma que você pode usar para tornar sua empresa, produto ou serviço conhecido pelo público que se interessa pelo assunto relacionado. Simples? É muito fácil se você tem um negócio que você conhece bem – por isso insistimos que você só comece um negócio sobre algo que você pode realmente sentir-se uma autoridade sobre o assunto. Não tente vender pizzas para entrega em casa se sua pizza não for realmente muito boa e, do mesmo jeito, não tente escrever sobre pizzas se seu conhecimento não vai muito além de saber comer pizza.

Antes de mais nada precisamos lembrar que a palavra estratégia significa caminho escolhido, ou seja, temos a situação atual e a que desejamos e, a partir de uma análise, escolhemos como chegaremos lá. É quase igual a usar o navegador GPS no celular, só que ele traça uma estratégia para que cheguemos mais rápido ou pelo caminho mais curto. Alguns GPS dão essas duas opções. Quando você decide se quer ir pelo caminho mais curto ou mais rápido, você está dizendo quais são os seus valores, ou seja, você quer ganhar economizando tempo ou combustível? Então, a estratégia de marketing de conteúdo é o caminho que você escolheu para atingir um objetivo usando marketing de conteúdo.

Então, a estratégia de marketing de conteúdo é a junção de seu conhecimento que ajuda as pessoas com a sua necessidade de se fazer ser conhecido. Então, vejamos os principais motivos pelos quais você vai produzir marketing de conteúdo – você deve escolher um deles para continuar porque saber o objetivo vem antes de escolher a estratégia, certo?

Os objetivos do marketing de conteúdo são:

Objetivo 1: Conquistar audiência

Entenda que não importa se você vende um produto ou serviços, o que o seu cliente vê é o que chamamos de entrega ao cliente. Entregar algo ao cliente em troco de um pagamento é a venda, mas você pode entregar algo antes para conquistá-lo e esse pode ser um dos objetivos, o de cativar a confiança do cliente no que você entrega. É isso que chamamos de encantar o cliente que, na hora de decidir a pagar, vai preferir quem ele já confia do que outro que ele não conhece.

Você já notou que tem muitas vezes que em vez de procurar sobre alguma coisa de forma geral no Google, você prefere ir direto no site de alguém? Muita gente faz isso porque esse alguém tem autoridade no assunto e elas confiam. Isso é consequência de ter uma audiência, você ganha autoridade no assunto o suficiente para que qualquer pessoa prefira comprar de você.

Esse público, que inclui clientes e não clientes |(ainda) é chamado de audiência, assim como na televisão, porque são pessoas que acompanham o que você publica – seja em vídeo ou por escrito. Esse deve ser seu principal objetivo porque é possível conseguir muitas informações que irão ajudar na hora de vender o que você entrega.

Por exemplo, se você costuma publicar sobre vários temas que envolvem o que sua empresa faz, note que algumas publicações terão mais compartilhamentos. Chamamos isso de engajamento. Isso significa que há mais pessoas que gostaram desse conteúdo a ponto de compartilhar com seus amigos – quer prova maior de que é um assunto importante? Por isso, quando você for pensar na venda é algo que você deve, sem dúvida nenhuma, levar em conta e usar como argumento de venda ou, pelo menos, incluir no que você entrega ao cliente como serviço ou produto, não é?

Outra questão importante, quando se fala em audiência, é que se muitas pessoas acompanham você com frequência, fica mais fácil vender porque seu público alvo já está próximo de você.

Talvez não fique claro para você no início, mas com o tempo você irá notar que suas publicações irão, cada vez mais, mostrar a sua personalidade e é justamente por causa dela que muitas pessoas irão comprar de você. As suas crenças e valores são passados na forma como você fala e escreve, não há como esconder isso de quem ouve ou lê, então com o tempo essas pessoas irão captar a sua personalidade e a da sua empresa – isso é muito bom para ajudá-los a comprar de você.

Objetivo 2: Obter informação

O mais importante quando se tem um negócio é conhecer os seus clientes e nada melhor do que ouvir deles mesmos o que eles pensam e como você pode atender melhor as suas expectativas.

Objetivo 3 – Ser encontrado

Para que serve um negócio que ninguém encontra? Fazendo o seu marketing de conteúdo, você tem maior chance de ser encontrado quando as pessoas buscarem sobre o assunto relacionado com seu negócio porque os sites de busca (Google, por exemplo) apresentam primeiro as páginas que tem mais relevância e isso só acontece se você está realmente mostrando autoridade sobre o assunto (vimos isso antes, né?).

Objetivo 4 – Conseguir o contato das pessoas

Quando alguém deixa o email ou o contato por causa de um conteúdo que você compartilhou de sua empresa, chamamos isso de lead, que significa um contato importante para você continuar cativando até levá-lo para a compra. Isso pode acontecer depois, por e-mail ou até mesmo divulgando novos conteúdos.

Objetivo 5 – Vender mais

Sim, pode acontecer de você vender mais – mas isso só acontece se você seguir as dicas que virão mais tarde. A principal é você não falar sobre seu produto – busque oferecer ajuda, se tentar vender, está perdendo seu tempo – marketing de conteúdo busca cativar o cliente, não levá-lo para uma compra.

Objetivo 6 – Manter os clientes próximos

O marketing de conteúdo deve, portanto, mostrar ao cliente o que realmente é útil, interessante e valioso. Mostre aos seus clientes atuais que você continua sendo tudo isso mesmo depois de ele já ter comprado de você. Novas vendas virão a um custo e esforço muito menor.

Nesse texto vimos para que criar uma estratégia de marketing de conteúdo e seus objetivos, abaixo vamos listar o que será necessário antes de começar a preparar a estratégia de marketing de conteúdo:

E, o que será necessário para você fazer o plano de marketing de conteúdo:

No sistema, foi pedido que você fizesse anotações com as palavras do cliente usadas quando fez as entrevistas, lembra? Foi quando você montou a sua Proposta de Valor. Agora iremos usar essas palavras para fazer buscas na internet para capturar textos de impacto que usaram essas para procurar nosso produto. Essas palavras você também usou para preencher a tela da Persona do seu cliente.


 

Como criar sua estratégia de marketing de conteúdo

Como já foi visto no texto anterior, a estratégia de marketing de conteúdo tem objetivos claros.

Nesse texto reafirmamos que o marketing de conteúdo não é propaganda, ele é um serviço que você está prestando antecipadamente e que oferece ao seu cliente (atual ou futuro) um serviço de informações que deve ser útil, interessante e valioso.

Vimos, também, o que será necessário para você fazer o plano de marketing de conteúdo (clique nos links para relembrar):

Então vamos ao trabalho, passo a passo:

Passo 1 – Identique onde seu cliente alvo busca informações

Se pensarmos de uma forma objetiva, todo mundo usa a internet para fazer basicamente 3 coisas: entretenimento, buscar informações ou se relacionar com outras pessoas. Quando pensamos em marketing de conteúdo precisamos saber exatamente quais são as redes sociais que ele usa para buscar informações. Isso foi visto quando criamos a persona do cliente, ou seja, o nosso cliente alvo acessa quais redes sociais? Dependendo da rede social, você deve usá-la para divulgar seu marketing de conteúdo.

Para cada mídia social existem orientações diferentes, mas elas falam pouco sobre o assunto ou o cliente, mas vale a pena ler:

Passo 2 – Identifique a forma como ele prefere receber o conteúdo

Existem 3 tipos comuns de pessoas: as que são visuais, as que são auditivas e as que são cinestésicas. As pessoas visuais tendem a procurar respostas em textos, as auditivas em vídeo e as cinestésicas preferem aprender-fazendo. Nesse último caso, o vídeo também é uma boa opção e muito mais importante do que o texto, mas uma sessão ao vivo em que você mostra e convida para que as pessoas façam junto com você pode ser um tesouro no marketing de conteúdo, mesmo para quem assiste depois. Se você não fez isso direito, volte atrás e refaça essa tarefa.

Passo 3 – Marque os dias que irá produzir conteúdo

Já notou que todos os blogueiros fazem suas publicações sempre no mesmo dia e horário? Sabe porque? É que acaba virando um atrativo saber que naquele horário vai ter alguém soltando um conteúdo na internet que é importante para ele – esse cliente vai passar a seguir e querer acompanhar tudo o que você faz.

Você deve publicar dessa forma. O ideal é produzir um novo conteúdo todo dia, ou seja 7 dias por semana. Só que tem um detalhe, nem todos são trabalhosos, como veremos no próximo passo.

A regularidade de publicar sempre nos mesmos dias e horários também parece ser uma forma de convencer os buscadores (google, youtube e outros) a mostrar suas publicações primeiro.

Passo 4 – Faça uma programação com conteúdos profundos e outros suaves

Se o objetivo do marketing de conteúdo é atribuir autoridade sobre o assunto, você deve provar isso. Faça dois vídeos por semana de 15 a 30 minutos para por no youtube contando sobre um assunto apenas, mas com profundidade, conte muito e explique muito detalhadamente. São os vídeos profundos.

Os vídeos suaves podem ser mais curtos, podem até ser pedaços dos vídeos longos quando o conteúdo for muito bom e focado em um pequeno assunto.

Você pode fazer textos em vez de vídeos – não há problema nisso, mas lógico que se seus clientes preferem vídeos, aceite ou mude de negócio – quem manda nisso é o cliente, não você.


 

Como fazer publicações incríveis no seu marketing de conteúdo, passo a passo

No texto anterior vimos quais são os objetivos do marketing de conteúdo e agora vamos ao planejamento. Para fazer isso, o melhor é usar fichas de conteúdo, impressas por você mesmo baixando a Ficha para Produção de Marketing de Conteúdo . O motivo disso é que você deve fazer não apenas o planejamento das suas publicações, mas ver se o esforço está valendo a pena, afinal ninguém quer trabalhar sem resultado, ainda mais quando você está criando o seu próprio negócio.

Então, vejamos quais são os passos para você conseguir publicações que realmente são impactantes para o seu cliente. Isso vale tanto para quando você vai abrir empresa como quando pretende fazer a que já tem crescer e vender mais:

Passo 1 – Preencha os assuntos centrais

Para começar, sugerimos que você imprima 30 cópias da ficha e comece preenchendo apenas 10 assuntos centrais primeiro, repetindo esse assunto em 3 fichas. Depois, você vai preencher o restante em cada uma dessas 10 fichas. Você vai fazer 3 fichas para cada assunto central porque o conteúdo vai variar de acordo com o momento em que o ouvinte ou leitor da sua audiência está na trilha-de-vendas. Então você vai ter dez assuntos centrais e para cada um deles vai ter 3 fichas.

Os assuntos devem ter forte relação um com o outro então você deve buscar as variações no seu trabalho que fez no sistema antes, quando escreveu frases que definem o que seu cliente faz e em que contexto (lembra?). Lá no curso fica onde você definiu a sua Proposta de Valor. Para cada ganho ou perda apontada pelo cliente você mostrou qual era esse ganho/perda e um contexto (quando ele demonstrou que isso acontece). Pois bem, cada contexto é um assunto e cada ganho ou perda é uma variante do mesmo assunto – entendeu?

Dessa forma você está usando a Teoria Job to be Done para criar seus primeiros posts. Mas, lembre-se esses primeiros posts serão posts curtos (até uma página e meia) e se forem vídeos para por no youtube, devem ter em torno de 4 minutos. Na verdade, os melhor do marketing de conteúdo é justamente aquilo que tem relação com o que o cliente quer fazer.

Passo 2 – Preencha as palavras chave

Nessa etapa em que você está começando, essa forma de escolher palavras chave é suficiente, depois você vai melhorar isso, mas o que queremos é ter o seu novo negócio funcionando e rápido, não é? Então, vamos fazer assim agora, mas se você quiser saber mais agora sobre como produzir palavras chave melhores, veja nesse outro texto que preparei para você.

Passo 3 – Recorde-se de como é sua persona e conecte-a com seu marketing de conteúdo

Pegue sua ficha de persona, aquela que você fez no sistema ou a que fez em uma ficha, e releia todas as suas características. Preste mais atenção especialmente nas frases que você anotou que os entrevistados usaram para mostrar sua satisfação ou frustração com relação ao produto ou serviço na forma que existe hoje. Em algum momento você irá começar a perceber que existem frases que são muito do jeito dela falar.

Copie essas frases na ficha e faça alguma anotação sobre qual aspecto da personalidade do seu cliente típico (persona) você quer usar. Pense que uma dessas frases pode ser o título da sua publicação.

Aqui você deve relembrar o tom de voz, acompanhar o mesmo grau cultural da pessoa (se a pessoa é com pouca instrução ou muito culta), se ela gosta de ler textos longos ou não, se gosta de ver vídeos demorados e completos ou não, quais tipos de imagem você percebeu que ela gosta. Então, faça pequenas anotações para ajudar a produzir seu conteúdo mais tarde.

Passo 4 – Indique em qual fase na trilha de vendas o seu marketing de conteúdo está focando

Lembra que pedi que fizesse 3 fichas para cada assunto e fosse repetindo os preenchimentos até aqui igual? É que agora cada uma das três fichas vai servir para a sua audiência que está em uma das fases da trilha de vendas. Anote em cada uma dessas 3 fichas uma fase diferente (relembramos o que significam, mas vale a pena ver de novo o significado nos outros textos): Suspect, Lead e Oportunidade.

Feito isso, você terá 30 fichas de conteúdo. Para começar, separe primeiro as fichas marcadas como suspects e comece a fazer seu conteúdo.

Lembra que para cada tipo de pessoa (persona) uma mídia social é melhor? E, que para cada persona um tipo de conteúdo é melhor? Então defina se será por escrito (chamado post) ou por vídeo (no youtube), e onde será divulgação e comece já! Se você ainda não fez, crie o seu persona para marketing de conteúdo e muito mais.

Termine primeiro os suspects, já que você quer começar trazendo audiência de pessoas que se interessam pelo assunto, mas ainda não estão prontas para comprar.

Pratique, é assim que se melhora cada vez mais

Se você não acha que está ok para produzir seu primeiro conteúdo, saiba que isso é natural – eu também passei por isso. Mas, para tranquilizar vou contar que ninguém irá ver o que você produziu, sabia? Isso porque existem bilhões de textos na internet e ninguém vai ler o seu pelo simples fato de você publicar. Então faça, publique e peça a opinião para uma ou duas pessoas amigas suas o suficiente para dizer que está uma droga (se elas não disserem isso, não são amigas verdadeiras). Com certeza, você terá que fazer de novo. Então, grave de novo e peça opinião de novo. Repita umas 3 ou 4 vezes, e irá notar que a cada vez, você irá melhorar um pouco. Quando estiver mais ou menos aceitável, passe para a fase seguinte que será a divulgação dos seus posts.


 

Como definir palavras chave para o seu marketing de conteúdo

Existem muitas maneiras de colocar palavras chave em cada publicação do seu marketing de conteúdo. Você pode usar métodos rápidos e simples, ou métodos mais sofisticados e técnicos. Nesse post vou explicar, primeiro, os mais simples e que funcionam, mas poderiam funcionar melhor com um pouco mais de técnica. E, no final apresento os que são mais técnicos. Para finalizar, dou uma dica de ouro que funciona nos dois jeitos.

Vale a pena conhecer os dois modos, para compreender que se você tem pressa em ver seu conteúdo sendo acessado por muitas pessoas logo, e sem complicação, é melhor fazer o simples. Mas, depois, quando já estiver com muita audiência, aí vale a pena repensar um pouco e estudar melhores maneiras. Porque com a experiência você vai ficando cada vez melhor.

Jeito 1 – Modo simples e rápido para obter palavras chave

Para identificar as palavras chaves interessantes para seu marketing de conteúdo, use o assunto na tela do Google – vá até o Google e digite o seu assunto. Você irá notar que irão aparecer muitas sugestões de auto-preenchimento. Essas são as palavras chaves mais fortes relacionadas com esse assunto. Escolha as que mais se parecem com o que você vai falar na sua publicação, ou seja, as que mais parecem com a dor ou ganho do seu cliente que você identificou na análise de proposta de valor (aquelas frases que você fez). Depois disso, acrescente uma ou duas palavras chaves que indiquem o seu produto e uma com o nome da sua empresa. Esse é o jeito simples, mas não deixe de ver nossa regra de ouro mais abaixo.

Jeito 2 – Forma técnica de obter palavras chave usando softwares

A forma técnica de identificar palavras chaves é por meio de planejadores de palavras-chave, sendo que os melhores (na minha opinião) são úteis para avaliar a competitividade e o nível de dificuldade de ranqueamento de palavras-chave:

  1. Google Keyword Planner;

  2. Moz Keyword Explorer;

  3. Ubersuggest.

Vou explicar o Ubersuggest porque acho o mais fácil de usar. Primeiro vá no Google e procure por alguém que esteja falando sobre o mesmo assunto que você está atuando (veja que esse assunto é aquele decorrente da tarefa onde você escreveu frases para montar sua proposta de valor). Você irá identificar vários sites sugeridos. Então, clique o primeiro deles e copie o link.

Em outra janela do navegador, abra o site ubbersuggest. Então, cole o link no campo que tem lá nesse site do Ubersuggest. Feito isso, ele irá mostrar para você várias palavras chave que fizeram aquela página estar aparecendo em primeiro lugar.

Jeito 3 – Obtenha palavras chave visitando seus concorrentes

É proibido visitar os concorrentes? Ao contrário, eles são seus melhores professores sobre seu próprio negócio. Então, faça isso. Assim você vai conhecer mais sobre eles e vai ajudar a resolver sua necessidade. Vá aos sites, blogs, páginas de youtube dos concorrentes e veja quais são as publicações que estão sendo mais visualizadas e que tem mais likes e compartilhamentos – essas são as que vale apena investigar as palavras chave. Além disso, tenha foco, use as publicações que estiverem mais próximas do assunto que você já escolheu.

Leia muito sobre o que é marketing de conteúdo

Concorda que quanto mais você sabe, mais você escreve bem? Então, leia sobre o assunto. Veja o que os outros dizem sobre isso na internet. Dessa forma você poderá ter surpresas e sempre vai aprender mais um pouquinho. E, mesmo escrevendo faz décadas para isso, eu ainda aprendo sempre procurando ler sobre o assunto. Parece que quanto mais aprendo, melhor fico nisso.

Por exemplo, procure saber quem são os melhores escritores para internet do Brasil, há um prêmio para isso, sabia? Sabia que em 2007, uma mulher de 95 anos ganhou prêmio de melhor blog em espanhol ?

Regra de ouro do marketing de conteúdo

A regra de ouro é que seu título seja a própria palavra chave – só isso é ganhar muitos pontos porque só irão ler o seu texto quem realmente interessa a você, né? Por isso é bom você usar essa palavra chave duas ou três vezes dentro do seu texto.

Não brinque com seu leitor. Afinal, ele é seu cliente. Então, ofereça informações que sejam realmente valiosas para ele. Em outras palavras, a melhor maneira que você pode usar para saber se é valiosa, é se você gostaria de saber sobre aquilo e acha importante.

Uma forma de ajudar a resolver essa dúvida, que sempre pode surgir, é perguntar a si mesmo se é ou não uma boa informação. Em resumo, use você mesmo para saber se é ou não uma boa informação. Afinal, pense bem, você está fazendo uma promessa ou realmente entregando algo de valor para seu cliente? Se sua intenção é abrir empresa ou melhorar a que já tem, você não pode ignorar nada disso, não é?


 

Como fotografar produtos para sua loja online usando celular

O maior problema para quem quer abrir uma loja digital é a falta de imagens bonitas dos seus produtos para colocar na hora que você precisa delas, que é agora que vai abrir sua loja virtual online. Nesse texto eu explico como fazer para fazer fotos dos seus produtos rapidamente e de forma quase profissional.

 

Para tirar fotos dos seus produtos, o Jessé dá todas as dicas aqui nesse vídeo. Para fazer as fotos rapidinho, isso serve, mas para ficar mais prático, o bom mesmo é ter um mini-estúdio e isso é muito fácil, veja nesse outro vídeo um jeito de fazer um mini-estúdio de fotografia que fica muito bom (usei em uma das minhas lojas virtuais para coisinhas pequenas e é o melhor dos mundos). Depois de pronto, é só colocar um abajur de cada lado, a caixa embaixo da luz da sua sala e sair fotografando. Ainda não é o melhor dos mundos, mas resolve para começar a fazer dinheiro na sua loja virtual.

Arranjou tudo? Veja na lista o que mais está faltando para abrir sua loja virtual agora:

  1. Fotos dos seus produtos

  2. Imagens para personalizar a loja

  3. Vídeos

Está com tudo pronto? Então abra sua loja já.

 

Crie o seu persona para marketing de conteúdo e muito mais


Muitas vezes o empresário, e principalmente quem vai abrir um novo negócio, fica com a sua atenção quase totalmente voltada para o seu serviço ou produto que irá oferecer a clientes. Na verdade, desde o século XVII, os empreendedores já sabem que isso é um erro. Não se trabalha em algo para oferecer aos compradores, o que se faz para ter sucesso é o contrário, vamos em busca de oferecer o que o cliente está disposto a pagar. A prova disso é que naquela época, os empresários saiam de navio e atravessavam metade do mundo para ir buscar o que os clientes queriam, arriscando a vida em barcos de madeira que, volta e meia, afundavam e morriam todos. Assim, a Holanda teve as cidades mais ricas do mundo naquela época, entregando aos clientes o que eles queriam – só isso. Eles não criavam novos produtos, nem ficavam tentando melhorar e entregar o melhor.

No nosso sistema, você entrevistou algumas pessoas que acha que serão seus clientes e irá entrevistar muitos mais, a quantidade de entrevistas grande faz parte da criação da sua super empresa. Quanto mais você estiver em contato e conhecer seus clientes, mais você terá chances de sucesso.

Mas, não adianta qualquer tipo de contato – não basta estar próximo, você precisa prestar atenção nos detalhes que nos interessam e não adianta tentar perguntar para eles o que você quer saber, nem eles mesmos sabem ao certo o que é e nem sabem como explicar – esse é o seu talento de empreendedor que irá descobrir.

Mas, quando você construiu as frases na criação da sua proposta de valor, já temos todos os indícios de como será o seu cliente padrão ou persona.

O que é persona

A definição de persona é a descrição do seu cliente padrão. Mas, não qualquer cliente, estamos usar como padrão o seu melhor cliente, com suas características que fazem que você deseje que todos sejam iguais a ele. Como é uma pessoa imaginária, você pode acrescentar nessa pessoa outras características que você vê em outras pessoas que também são boas clientes. E, assim terá a descrição de um sujeito que é ao mesmo tempo impossível de existir, porque é o cliente perfeito demais e, também, o tipo de pessoa imaginária para quem você faz uma propaganda e ele se apaixona pela sua empresa e quer comprar de você a qualquer custo.

Como descrevo uma persona

Como foi fácil notar, é uma pessoa que não existe, é apenas uma descrição. Mas, para descrever uma persona, para fazer o seu marketing de conteúdo, nada melhor do que usar a mesma pesquisa que já está fazendo ao entrevistar muitos clientes em potencial e buscar exatamente naquelas frases em que o seu cliente demonstrou:

  1. uma satisfação maior ou um ganho adicional quando compra um produto ou serviço

  2. uma irritação ou frustração quando compra algo e, apesar de fazer o que precisa, algum sofrimento ou incômodo vem junto com a compra

Nós montamos frases para cada uma dessas situações, lembra? E agora vamos montar a descrição de personas a partir delas. Você pega isso dentro do sistema, lá na parte onde fez a sua construção da proposta de valor.

Feito isso, você vai acrescentar respostas para as perguntas que estão no desenho abaixo:

Durante as entrevistas foi pedido que você anotasse as exatas frases usadas pelos entrevistados e anotasse para descrever os ganhos e dores. Nesse mapa de empatia, fazemos uma pequena alteração: pedimos que anote em fraquezas e ganhos, além das fraquezas e ganhos, essas frases que você anotou.

Preencha com o que ele pensa e sente, escuta, vê, fala e faz. Mas, tente identificar, também, quais são as redes sociais que ele prefere usar para 3 finalidades:

  1. se entreter

  2. buscar informações

  3. se relacionar com outras pessoas

Com esse mapa você descreve um persona.

Mas, desse jeito eu vou ter vários personas !!!

SIM !!! E que bom se isso acontecer !!! Afinal, é assim que vamos separar o joio do trigo. Durante suas entrevistas, você notou que há diferentes grupos de pessoas – alguns são clientes que irão comprar facilmente e outros que irão comprar, mas você terá que ter mais trabalho para conseguir convencê-los, ou até terá que mudar seu serviço ou produto. Também irá encontrar alguns que usarão o que você pretende vender por causa de uma dor ou ganho, e outros por causa de outros motivos.

Ao descobrir isso, você acabou de criar mais de um persona e, com isso, está fazendo a melhor segmentação de mercado que existe: a segmentação por tipo de cliente baseado em suas características com relação ao seu serviço ou produto – e, ninguém mais tem isso!!!

O nome disso é segmentação de mercado e o próximo passo é escolher qual segmento você irá começar a trabalhar para começar a fazer dinheiro logo e com menos investimento !!!

Parabéns !!!


 

Estrutura de um texto para marketing de conteúdo


Para toda regra existe uma exceção. No caso de marketing de conteúdo, diríamos o contrário – para toda exceção há uma regra. Dizemos isso porque cada um tem seu estilo para estruturar um texto.

Mas, às vezes, precisamos começar a escrever e vem o famoso pânico da página em branco. Então como começar? Sugiro usar uma estrutura e tentar segui-la até modificando no começo, sem medo de ser feliz. E, depois você vai melhorando e adaptando para melhorar cada vez mais.

Só para lembrar o que você está fazendo: você está mostrando para o seu cliente atual ou cliente-alvo que você pode ajudá-lo muito, mas muito mesmo, com um conteúdo que ajuda ele a resolver algum problema real que fez que ele procurasse na internet a resposta – portanto, é a hora de você mostrar seu valor. Esse conteúdo deve ser útil, interessante e valioso.

E, por isso, não pode, de forma nenhuma, ser um texto em que você está vendendo um produto, senão você estará matando o interesse dele pelo que você está dizendo. Há outras formas de fazer isso e chamamos de Chamada para uma ação (Call to action, inglês), mas isso é parte do próximo texto.

Mostramos o passo a passo para criar seu primeiro texto (essa semana você vai escrever 7 textos curtos, que não demorem mais do que 3 minutos para ler. O assunto você escolhe usando os passos descritos anteriormente.

Passo 1 – Introdução

Explique o contexto de uma maneira energizada, empolgante e que chame a atenção. Use apenas um parágrafo nisso. Nesse parágrafo, logo na primeira ou segunda linha você já deve incluir a sua palavra chave, se não ficar repetitivo use o título também. Isso é bom porque hoje em dia os buscadores (Google e outros) usam o começo do texto justamente para colocar seu texto no início ou não do resultado de uma pesquisa que alguém faça na internet.

Se você notar, eu costumo colocar sempre, logo depois da introdução, uma imagem. Isso para que eu perceba, enquanto estou escrevendo, o que é introdução e o que é o corpo do texto. Não é uma recomendação, mas é o que eu faço para eu me sentir mais seguro e organizado no meu texto.

Passo 2 – Corpo do texto

Nessa parte é que fica o texto que você deve apresentar ao leitor ou ouvinte o que ele quer saber. É um conteúdo de alto valor, ou seja, faça o seu melhor esforço para mostrar que você está sendo verdadeiro em mostrar tudo o que ele precisa saber para resolver o que o texto está propondo resolver. No caso de você estar falando sobre um assunto que é algo que ele se sente feliz e recompensado quando compra de alguém algo que dá mais do que ele imaginou, mostre isso. E, no caso de estar falando sobre uma frustração que ele tem quando compra algo e aquilo não resolve totalmente o que ele precisava ou ele tem um esforço desnecessário para usar o que comprou, mostre que você sabe disso e proponha alguma forma de contornar o problema. Note que não estamos vendendo nada, estamos mostrando como resolver o problema e mostrando que conhecemos suas dores e ganhos.

Passo 3 – Finalize

É difícil finalizar sem fazer propaganda do nosso trabalho, né? Eu sei e me mordo de raiva por causa disso. Mas, a recomendação dos especialistas é não fazer isso.

Eu não me conformo, por isso, finalizo o texto pedindo que a pessoa deixe seu comentário e se inscreva para receber mais orientações e novidades. Aí é que devemos, aos poucos, ir sugerindo que temos algo que vai além do que a concorrência oferece. O nome disso é captar leads.

Mas e se já for um lead, aí temos a possibilidade de finalizar com a sugestão de nosso produto, porque não?


 

Como não errar sobre a decisão de ter um site

Em todo lugar que você procurar a recomendação é sempre a mesma: tenha um site. E o maior erro na decisão de ter o site é não pensar antes no quanto vai gastar e como irá usar seu tempo e dinheiro. Mas, ter um site é muito mais do que uma decisão, deve ser o resultado de um objetivo. Afinal, um site custa dinheiro e tempo. Se você não estabelecer, antes, o motivo pelo qual o site é necessário, você irá desperdiçar recursos caros. Vamos apresentar a você os motivos que levam a ter um site e quanto isso significa em termos de custo e tempo. Se você é desenvolvedor de sites, esse texto é muito simples – é para quem quer saber o como decidir sobre ter ou não um site.

O objetivo fundamental do seu site é ter presença digital, ou seja, existir na internet – qualquer outro motivo chamado de principal vem depois disso. Nossa discussão está dividida em passo, para facilitar a compreensão: domínio, servidor, hospedagem, criadores de site.

Passo 1 – Domínio

Quando você procura qualquer assunto na internet, você irá clicar em uma página de internet que fica em um domínio. O domínio é aquele nome que vem na linha no topo do navegador. Veja aqui o domínio que você está acessando agora, ele é newis.cool. Se você clicar nele, você irá para a página inicial desse domínio. Em cada domínio existem páginas internas, então se você clicar em newis.cool/blog irá para a página de blog.

Dito isto, que é básico, quanto custa ter um domínio com o nome do seu negócio? Se você fizer sozinho, custará R$ 40,00 por ano. Se contratar uma empresa, ela irá cobrar até R$150,00 por ano e mais um serviço chamado hospedagem que pode variar muito, chegando até a R$ 650,00 por mês (vi esse preço sendo pago por uma empresa essa semana, não é inventado). Então, não é uma decisão tão sem importância assim.

Qual é o problema então? O mínimo que se espera é que seu negócio tenha uma página de internet com seu nome – menos do que isso dá a impressão que seu negócio não é sério. Simples assim.

Então, se você quer gastar pouco, o mínimo seria pagar R$40,00 por ano para a FAPESP, no caso do Brasil, que é o registrador oficial de sites com o final .com.br e outros.

Mas, registrar o domínio não é ter o seu site. Isso é outro passo, como vemos adiante

Passo 2 – Servidor ou hospedagem

Se você quer ter um site, você pode:

  1. pagar para alguém fazer e se você não sabe nada, isso é uma boa opção, ou

  2. fazer você mesmo, o que não é tão difícil assim se você sabe usar Word e PowerPoint, ou

  3. usar um site pronto como modelo e alterar conforme seu negócio.

A opção mais barata é a última, e ela pode sair de graça se foi você mesmo que registrou seu site na FAPESP. O motivo é simples: quando alguém digitar seu domínio, a FAPESP irá transferir para o domínio em uso atual. Não tem mágica, nem custo nenhum. O que fiz foi dizer na FAPESP que quando alguém procurar pelo meu domínio, em vez de ir para um servidor (que seria pago e não é barato) ou para alguém que hospede meu site (que também não é tão barato assim), ele encaminha o usuário da internet para esse link que é um site grátis da empresa Wix.

Mas, qual é a consequência disso? O ponto forte é que eu não tenho gasto nenhum além dos R$ 40,00 anuais. E o ponto fraco é que eu fico dependente da Wix, porque toda a estória que eu fizer na internet simplesmente pertence ao wix.com, e sempre que alguém procurar pelo meu aprender-fazendo, o Google irá direcionar para essa página grátis da wix e não para meu domínio. Entendeu?

Para evitar isso, depois que o meu site ficar pronto, eu vou na Wix e passo a pagar cerca de R$ 7,00 por mês para parar de usar a página grátis e passe a fazer com que o meu blog, por exemplo, seja sempre direcionado para uma página no meu domínio e não em uma página grátis.

Então, minha opção é só publicar meu blog depois que eu já tenha muitas publicações nele e, só então, eu passo para a página paga no Wix. Só que todo o trabalho que tive para fazer minhas publicações será perdido, porque serão publicações em uma nova página, e sem estória.

Passo 3 – Criadores de site e hospedagens

Como vimos no passo anterior, a Wix é um serviço de hospedagem. Mas, ela dá páginas prontas grátis para você mudar porque assim ela chama mais clientes para sua hospedagem. Para começar um negócio, é o melhor dos mundos. Mas, se sua empresa crescer o suficiente, seria bom contratar um profissional para criar seu site.

Passo 4 – Loja virtual

No passo a passo da Newis.Cool, os participantes ganham uma loja virtual grátis já pré-configurada para começar a usar imediatamente. Lógico que a Wix também tem loja virtual, só que isso é um serviço pago e você vai precisar de ajuda de quem conhece a criação de loja virtual da Wix.

Qual a melhor solução?

Por mais que eu queira, não existe uma solução melhor que outra. Meu critério é simplesmente o de menor custo por enquanto, quando estou abrindo um negócio e, depois, quando meu negócio tiver provado que é bom mesmo e faz dinheiro, aí eu avanço para outras opções que são melhores, mas são pagas.




Quer saber quanto custa uma Auditoria Investigativa de Condomínio?

Quem pode pedir uma auditoria da gestão do condomínio?

Assine e receba novos artigos no seu e-mail

Obrigado pela sua inscrição

Livros

Organizacao capa so frente.png

AUDITOR ADMINISTRATIVO DE CONDOMÍNIO

Relatório de Auditoria Administrativa para prestação de contas anual, preventiva ou retroativa.

bottom of page